quinta-feira, 11 de março de 2010

Perdas do FPM superam 45% em março…

A segunda cota da parcela do Fundo de Participação dos Municípios, depositada hoje, também apresenta queda em relação a fevereiro, acumulando cerca de 46% de perdas no mês de março.
É praticamente metade dos recursos que deixou de chegar aos municípios,s endo que a maioria tem o FPM como praticamente´única fonte de receita.
A queda acentuada nos repasses já havia sido percebida na última parcela de fevereiro. Mas é bem maior agora em março.
- A queda verificada na primeira parcela do mês de março foi um verdadeiro desastre para os gestores municipais - ponderou o presidente da FAMEM, prefeito Raimundo Lisboa (PMDB).
O corte drástico na parcela do FPM pode resultar em corte de serviços e ameaça até o pagamento de servidores em vários municípios.
Representantes da Famem estão em Brasília, participando da mobilização de prefeitos com objetivo de pressionar o Governo Federal a buscar soluções, tanto para as compensações nas perdas do FPM quanto para outras questões.
Além do problema no FPM, os prefeitos discutem a partilha igualitária dos royalties do pré-sal e Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, prevista para maio. (Do blog do Marco D'Eça

5 comentários:

  1. Quantas tolices,os gestores municipais desde o ano passado,mes a mes vem recebendo o FPM reduzido enganando os funcionários municipais que na maioria são incompetentes.Se o prefeito reduzir o salário deles do mínimo para R$ 200,00 eles aceitam a incompetencia os obrigam e os prefeitos em ano de eleição vende os votos da maioria desses funcionários para candidato a deputado.Isso eles merecem.

    ResponderExcluir
  2. Eles querem pagar os servidores com recurso do PRÉ SAL.QUE PRÉ SAL,o Lula esta enganando voces,só vai sair petroleo do pré sal segundo os tecnicos mais otimistas em 2017.Pré Sal ...

    ResponderExcluir
  3. Ó, que boa notícia! Só assim a quantidade de recursos desviados diminui.

    ResponderExcluir
  4. DESALIENADO GRAÇAS A DEUS12 de março de 2010 07:26

    Isso é um desastre para municípios que não tem investimentos em setores produtivos, refém dos recursos da União. Mas, cabe resaltar, paralelo a isso, há em Tuntum por parte da oligarquia reinante, uma zorra com o erário público em favor particular dos membros do governo local. Há alguns dias o secretário de obras foi ao local onde está sendo recuperado do PISCINÃO , exigir mais agilidade no serviço, uma vez que o número de trbalhadores lotados naquela obra era grande. Mas o sevrretário intalou, quando um dos trabalhadores retrucou:
    - Como que a gente termina se tem quatro trabalhando na casa ..., três não sei aonde, dois pra casa do...
    Isso é vergonhoso.
    As pessoas estão mau acostumados depois da gestão Tema, que alinhado ao grupo estadual situacionista da época, esbanjou dinheiro, fez farra com contra-cheques eleitoreiros. TEMPO DAS VACAS GORDAS. E agora mesmo frente as dificuldades, que ora vivemos continuam usufruindo do dinheiro público em benefício privado. Não há verba para pagar o vencimento de funcionários, mas compram carros, fazendas, aluga-se residências a preços exorbitantes para favorecer a "elite local", e tantos outros abusos.
    O que impressiona é que tais desmandos são "socialmente aceitos", exceto se o alienado estiver sendo beneficiado é claro. E dese modo tal concepção de gestão pública, de mundo leva a maioria da população acreditar que a sociedade está fadada irreversivelmeste a malogrado destino.

    ResponderExcluir
  5. só quem tem dinheiro é o secretario de financia, que fica esnobando na nossa frente
    mari. rua 12

    ResponderExcluir