terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Ministro anunciará novo piso para professor

Da coluna Painel,da Folha de São Paulo:
Ao mestre, com carinho

Antes de se despedir do MEC rumo à eleição paulistana, Fernando Haddad (PT) deverá faturar com o derradeiro gesto de visibilidade de sua gestão: até o dia 15 o ministro planeja anunciar o patamar de reajuste do piso nacional dos professores, que pode atingir 22% – de 2010 para 2011, o salto foi de 15,85%.
Embora afague categoria numerosa do funcionalismo, o novo valor intimida os governadores. Quando o tema foi discutido no Congresso, políticos dos mais diversos matizes entraram em campo na tentativa de reduzir o percentual, já que 17 Estados descumprem hoje a remuneração mínima, de R$ 1.187.

Outro item da agenda educacional que deixa governadores de cabelo em pé é o já aprovado calendário nacional de greves da categoria. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, ligada à CUT, programou para a segunda quinzena de março rodada de paralisações por todo o país.

Além do piso, os sindicatos vão cobrar adequação de jornada extraclasse.



2 comentários:

  1. Não recebe porque o estado não rep
    ssa,e o prefeito apoia a governante
    do estado.A qualidade do ensino é
    muito fraca um dos piores indices
    é o do Maranhão.
    Periclés.

    ResponderExcluir
  2. o salário dos professores do estado é o melhor do país onde é 77% maior que dos professores de são paulo, as escolas tém boa qualidade, tem livros didáticos de graça de boa qualidade, mas a educação é a pior do brasil, e comparada a de países em miséria, então o problema está aonde?


    para essa educação não deveria ser pago um salário desses,

    acho que deveria ter um corte de 70 por cento no salário desses desocupados do estado, e só almentava quando tivesse algum progresso nesse lamaçal que é a educação do estado



    lindo, tesão, bonito e gostosão

    ResponderExcluir