quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Novos donos assumem cartórios em Tuntum

Não houve resistência na transição dos novos donos de cartórios em Tuntum, tanto no primeiro como no segundo ofício, como vem acontecendo em alguns cartórios do interior e da capital do estado em que os antigos donos se negam a repassar o acervo (livros e documentos) público existente.


Acácia Figueira, dona do Cartório do 2º Ofício

A primeira mudança aconteceu no segundo ofício com o ingresso da dona e tabelioa Acácia Lima Figueira e a saída de Arnoldo da Silveira Leda. A nova titular é mineira da cidade de Montes Claros. Acácia afirmou que é apaixonada pelo Maranhão e depois que passou no concurso visitou Tuntum e também se apaixonou pela cidade. ‘Vim decidida pra morar aqui, inclusive já trouxe até meus pais’, disse a tabelioa. O novo local de atendimento está localizado na rua Frederico Coêlho, em frente ao mercado municipal.


Paulo de Tarso Guedes, dono do 1º Ofício

O novo tabelião do primeiro ofício Paulo de Tarso Guedes Carvalho é natural de Paraibano, Maranhão. Ele me informou que em primeiro plano irá informatizar totalmente os trabalhos do cartório. O novo local de funcionamento está situado na avenida dr. Joacy Pinheiro, ao lado da secretaria de Saúde. O ato de transferência aconteceu na tarde de ontem. O cartório do primeiro ofício pertencia a família Borges e Araújo há mais de 30 anos. Desde a promulgação da última Constituição Federal, em 1988, para ocupar o cargo de dono de cartório é preciso ter aprovação em concurso público.

13 comentários:

  1. É lamentavel que nossa justiça seja tao injusta como o povo de sua terra.O que se vê são pessoas que não conhecem a cidade sua historia e muito menos seu povo, a tomarem posse de patrimonios de herança dos tuntuense.Tudo bem que o concurso seja necessario mas por que não priorizar advogados de nossa cidade, ou nao temos advogados ? Fica o velho ditado:
    Manda quem pode obedece quem tem juizo !!!!
    Brasil terra de niguém !!!!
    Autor desconhecido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse comentário é bem ridículo, típico de gente que não tem a menor noção do que está falando e principalmente que não estudou...

      Excluir
  2. Mas tbm tem o seguinte, todos eles tiveram com a faca e o queijo na mão. Se eles não se capacitaram foi pq não quiseram, entao agora não adianta chorar pelo leite derramado...

    ResponderExcluir
  3. Espera-se que certos esquemas deixem de existir em tais cartórios...

    ResponderExcluir
  4. Acácia Figueira, é casada ou solteira? Informe rápido, Deusimar!

    ResponderExcluir
  5. Jean Carlos Gonçalves15 de janeiro de 2010 22:45

    Um país que almeja atingir um patamar desejado de desenvolvimento humano e justiça social, aquem do personalismo incrustrado na estrutura mental de nosso povo, deve preconizar pelo princípio da meritocracia. Os antigos tabeliões tiveram tempo de sobra ´para buscarem a qualificação devida para a investidura no cargo que até então ocuparam. Não tenho nada contra as pessoas que ocuparam tal função social. Em todo caso busco cumpri o comprometimento com o devido respeito à coisa pública, bem como os princípios que lhe são inerentes. A SOCIEDADE oportuniza...O indivíduou responde pelas suas escolhas. Bem vindo aos que virão. Reflexão e sucesso aos que entregaram os cargos. Todos teem condições de dar a volta por cima. Até mesmo atigir posições "melhores". A necessidade é a mãe das invenções.

    jEAN carlos Gonçalves.

    ResponderExcluir
  6. Como citou o Ilmo professor Jean Carlos, a coisa é pública e não deve ser confundida com o interesse particular daqueles que se julgam donos daquilo que nossa Carta Magna qualifica como interesse público. Mas aqui vale ressaltar a diferença entre vontade popular de interesse público. Aquela (a vontade popupar) pode ser contrária ao interesse público, uma vez que o clamor popular não seja por todo isento de máculas sociais que se destinem a justificar o favoritismo de alguns em detrimento daqueles que merecem o cargo ou função pública, como ocorre em muitos municípios de nosso estado com o apadrinhamento de cunho político, o que configura uma injustiça social.
    Por isso mesmo é que damos as boas-vindas aos tabeliões Acácia Lima Figueira e Paulo de Tarso Guedes. Sucesso no trabalho.

    José Geraldo.

    ResponderExcluir
  7. Se, doravante, os cartórios se revestirão da seriedade e do dinamismo necessários eu não sei. O que sei é que a Srta. Acácia Figueira é muito bonita.

    ResponderExcluir
  8. O tempo se encarregará de esculpir em nós mesmos aquilo que chamamos de uma melhor dinâmica em nossas relações sociais e trabalhistas. Ou faremos aquilo que nos propomos a fazer, ou, certamente, estaremos confinados a dar lugar àqueles que não tardarão em agir.

    Quanto ao fato da Srta. Acácia Figueira nos encantar aos olhos, percebo que em muito não incomoda o fato de tê-la em nosso convívio popular. Apesar de ainda não ter tido a honra de conhecê-la melhor, ou melhor dizendo, pessoalmente.

    José Geraldo.

    ResponderExcluir
  9. BOA TARDE! POR FAVOR ATUALIZEM O Nº DE TELEFONE NO SITE DO CARTÓRIO DO 1º OFICIO DE TUNTUM MA, MUITOS BRASILEIROS PRECISAM DOS SERVOÇOS DESSE CARTÓRIO E NÃO ESTÃO CONSEGUINDO, TODOS OS NUMEROS DISCADOS CAEM EM NUMEROS RESIDENCIAIS.

    NATANAEL DE TERESINA PI

    EX TUNTUMENSE.

    ResponderExcluir
  10. Os telefones do cartórios de Tuntum são os seguintes:

    Cartório do 2º Ofício - Acácia Lima Figueira (99) 3522- 1592

    Cartório do 1º Ofício (99) 3522-1700

    ResponderExcluir
  11. Galera, os antigos donos dos cartórios já mamaram muito nessas tetas. Agora é a vez dos outros amarrarem seus burros na sobra.
    Os ex já torraram muita grana tiradas de lá.

    um abraço do conterrâneo.

    ResponderExcluir
  12. pude obeservar os comentarios sobre os cartorio de tuntum, não concordo como muitos comentarios, esse anonimos deveria saber,que o estudo é a base de qualquer desenvolvimento de uma nação, nao podemos tratar a coisa publica, como se fosse a propriedade particular, o cartorio é uma repartição publica,é porisso que seus administradores tem que ter qualificação através de concorso aberto ao publico, para represaenta-lo.

    ResponderExcluir