sábado, 23 de fevereiro de 2019

BELÉM: Vereador comemora assassinato de outro vereador; assista o vídeo


O vereador de Belém, sargento Silvano (PSD), comemorou a morte do vereador de Ananindeua, Deivite Wener Araújo Galvão (Sem partido), mais conhecido como “Gordo do Aurá”, assassinado na tarde de quinta-feira (21), no bairro da Pedreira, em Belém.
Após confirmação da morte do Gordo do Aurá (foto abaixo), sargento Silvano divulgou um vídeo nas redes sociais, comentando sobre o caso. O vídeo, entretanto, foi excluído momentos depois. A Câmara Municipal de Belém e a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) reagiram negativamente às declarações de Sargento Silvano.
O vereador começou o vídeo fingindo que estava triste. “Tô de luto gente, estou muito abatido. Morreu um ente muito amado por mim, o Gordo do Aurá”. Em seguida, gargalhou e continuou: “Que alegria, gente. Pensou que eu tava chorando? Chorando é uma merda, vagabundo. Vai pro inferno. Porque vagabundo tem que morrer é assim”, disse.
Silvano também deu um recado para os jovens. “Presta atenção no que eu vou falar pra vocês. Vocês que querem ser vagabundos também, safados: o crime não compensa. Tenho 24 anos de polícia, tô partindo pros 25. Eu nunca vi um vagabundo se dar bem”.
“Vai pro inferno. Porque vagabundo tem que morrer é assim” diz vereador ao comemorar a morte de um outro vereador em Belém.
Ainda no vídeo, Silvano prestou condolências às famílias de pessoas que, segundo ele, foram afetadas de alguma forma pela suposta atividade criminal de Deivite Galvão. “Meus sentimentos às famílias que esse vagabundo levou droga com o irmão dele, e às famílias que foram destruídas e seus filhos aprisionados”, afirmou.
Na opinião do sargento, a morte do vereador de Ananindeua deve ser comemorada. “Hoje é dia da gente comemorar, então vou comemorar. Mandei comprar um peixe, vamos fazer uma festa. Então meu irmão, já foi esse miserável, que vá mais”, concluiu. Domingoscosta

Maior projeto educacional da história do Brasil pode alavancar nome de Flávio Dino à Presidência


Pela primeira vez, Flávio Dino admitiu, publicamente, que pretende disputar a Presidência da República em 2022. O que já é manifestado por seus seguidores nas redes sociais e por militantes da esquerda brasileira, agora parece cada vez mais concreto também para o próprio governador do Maranhão.

E Flávio Dino tem um portfólio repleto de realizações como chefe do Executivo Estadual para apresentar ao Brasil, principalmente na área de educação. Se mantiver o ritmo do primeiro, em seu segundo mandato, o governador terminará sua gestão com o maior programa de investimento educacionais da história do Brasil.

Hoje, o Maranhão paga o maior salário para professores em todo o país. O projeto de valorização profissional inclui também recorrentes investimentos em formação continuada e aperfeiçoamento dos docentes com o intuito de intensificar os conhecimentos teóricos e metodológicos dos professores.

Além da valorização profissional, essencial para o desenvolvimento educacional, é no investimento em infraestrutura que reside o maior projeto da educação que se tem conhecimento no Maranhão e que caminha para ser o maior do Brasil em poucos anos: o Escola Digna.

São mais de 800 escolas beneficiadas com construção, reconstrução e reforma, garantindo aos alunos maranhenses estruturas aptas ao aprendizado. Tirando pequenos que antes estudavam em escolas de taipa e barro, sem banheiros e insalubres, e os colocando em prédios de alvenaria, com toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento pedagógico das crianças.

Outro investimento que salta aos olhos do Brasil é nas escolas de tempo integral. Antes de assumir o governo, Flávio Dino não encontrou nenhuma unidade nesta modalidade. Em quatro anos, já são 49 com mais de 15 mil alunos maranhenses matriculados.

A meta do governador é fazer em oito anos, o que Ceará e Pernambuco demoraram 20 anos. Investir em educação de qualidade e em tempo integral para figurar entre os melhores IDEBs e avaliações nacionais aferidas em relação a educação do país.

Essa conjunção de fatores coaduna com o discurso de Flávio Dino de que o investimento contínuo na área da educação no Maranhão é uma decisão clara de buscar coerência entre a retórica política tradicional, que fala sempre em educação como prioridade nacional, e os atos concretos. 

Até hoje, no Brasil, o ex-governador Leonel Brizola é conhecido por seus investimentos na área da educação e a construção dos seus Centros de Integrados de Educação Pública. Ele é reconhecido como o estadista que mais priorizou a área na história do país. 

Com apenas quatro anos de mandato, Flávio Dino caminha para superar os feitos de Brizola na educação. E é exatamente o destaque nacional na área, que é considerada a prioridade número um dos brasileiros, que pode fazer o governador do Maranhão alçar voo até o Palácio do Planalto
GilbertoLima

Momentos de pânico: Feita refém por assaltantes, esposa de gerente detalha para a polícia como ocorreu o assalto ao Bradesco de Grajaú



Policiais militares e civis da cidade de Grajaú, a 564 km de São Luís, com o apoio de todo o aparato policial da região, continuam à procura dos bandidos que assaltaram a agência do Bradesco, na manhã de sexta-feira (22), após manter o gerente e a família reféns.

Pelas informações, os assaltantes invadiram a casa do gerente na noite de quinta-feira (21) e passaram toda a madrugada com a família do gerente refém. Pela manhã, eles teriam levado o gerente à agência para a retirada do dinheiro. Nesse momento, outro parte do bando saiu levando a esposa, os dois filhos e a funcionária da residência.

A polícia da região foi mobilizada e iniciou buscas, com helicóptero CTA de São Luís, para tentar localizar a quadrilha. Os reféns foram liberados no Povoado Faíza, nas proximidades da cidade de Arame. Um dos carros usados pelos assaltantes foi encontrado pela polícia na MA-006.

Esposa do gerente relata momentos de terror

Segundo Claudia Viana, esposa de Hector, gerente do Banco do Bradesco, os bandidos os abordaram na porta de casa, por volta das 19h30, quando eles chegavam juntos com as crianças. A abordagem foi feita por dois bandidos que os levaram para dentro de casa. Eles passaram a noite dando pressão psicológica no gerente na frente da esposa e dos filhos.

Segundo ela, eles perguntavam quanto tinha no banco e diziam que sabiam os passos da família, além dos horários que sua esposa ia à academia. Por volta de 06h30 da manhã de sexta-feira (22), chegaram mais três bandidos em uma SW4 de cor prata. Os três que chegaram pegaram Claudia, as duas crianças e a funcionária da casa, que vinha chegando para o trabalho, e seguiram no veículo Golf da família tomando rumo ignorado.

Depois que saíram com os familiares, obrigaram o gerente a ir ao banco buscar o dinheiro sob ameaça de executar seus filhos e esposa. A conversa com os bandidos para entregar o dinheiro foi via WhatsApp. Foi indicado para Hector deixar o dinheiro em direção à BR-226, no sentido à cidade de Barra do Corda, próximo ao Parque de vaquejada Gauchão.

A outra instrução, segundo a polícia, foi que eles avisaram que por volta das 10h o carro forte estaria chegando ao Bradesco e que o gerente fosse trabalhar normalmente. Tão logo os valores fossem deixado no banco, seria para o gerente pegar mais dinheiro e levar a eles. Ao chegar à agência, em estado de choque, o gerente não conseguia trabalhar e, em desespero, acionou a segurança do banco, que chamou a polícia.

De imediato, a PM se deslocou atrás dos bandidos e acionou outros policiais da região. Segundo a polícia, os assaltantes mantinham contatos com os que ficaram em Grajaú e sempre ameaçavam a família de Hector.

Cláudia contou que foram até depois do Povoado Faíza, quando eles perderam contato com os demais que estavam na cidade. Nesse momento, os assaltantes deixaram a família na estrada

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

“Estou mesmo me preparando para 2022”, anuncia Flávio Dino em conferência


Durante Conferência Estadual Extraordinária do PCdoB-MA, realizada na noite desta sexta-feira (22) na Assembleia Legislativa, o governador Flávio Dino (PCdoB) revelou que pensa em disputar a Presidência da República. “Estou mesmo me preparando para 2022. Vocês nem notaram, já estou até com cinco quilos a menos. Vamos enfrentar o laranjal e a turma do mal”, afirmou o comunista.
“Eu adoro uma eleição, estou doido para disputar mais uma, essa especial. A gente tem que plantar a coisa certa, para colher a coisa certa”, completou Flávio Dino, saudado com os gritos de “Brasil, pra frente, Dino presidente” da plateia.
Na oportunidade, o governador fez mais uma vez duras críticas ao projeto da reforma da previdência do governo Bolsonaro e convidou todos para uma grande mobilização no Maranhão no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, um movimento, segundo ele, para resguardar os direitos à aposentadoria.


Johncutrim


Preso acusado de assassinar jovem a tiros na avenida Litorânea; ele disse que o crime foi por vingança


Policiais da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) e do 9º DP, no São Francisco, efetuaram, por volta de 10h desta sexta feira (22), a prisão temporária de Luís Eduardo Corrêa Durans, de 23 anos, acusado de assassinar Erik Cuba de Oliveira, na noite do último 11, na Avenida Litorânea, em São Luís.

Interrogado pela delegada Katherine Silva Chaves Lima, titular do 9º DP, o acusado confessou com detalhes a prática do crime. Ele afirmou que matou a vítima por vingança, pois, em janeiro de 2018, Erik Cuba teria desferido contra ele duas facadas no abdômen.

O acusado afirmou que efetuou três disparos a curta distância em direção à cabeça da vítima utilizando um revólver calibre 38, e que jogou essa arma na maré, logo após o crime, quando passava pela ponte do São Francisco.

Após o interrogatório, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência do acusado com objetivo de encontrar a arma utilizada no crime, mas não a localizaram.

Cumpridas todas as formalidades, o preso foi encaminhado ao sistema prisional onde ficará à disposição da Justiça.
Gilbertolima

Com investimento de R$ 9 milhões, empresa vai implantar fecularia no MA


Segundo a empresa, a capacidade de produção será de 15.000 quilos/hora.
A crescente produção de mandioca no Maranhão, em virtude dos trabalhos de desenvolvimento da cadeia produtiva desenvolvida desde 2015 pelo governo Flávio Dino e a demanda por produtos alimentícios da cadeia da mandioca que tem aumentado em todo o país. Foi considerando esse panorama que a empresa Nutrila, vai implantar uma fecularia na cidade de Balsas, no sul do estado. A intermediação está sendo realizada junto a Secretaria de Indústria, Comércio e Energia, em parceria com a Ambev. Nesta quinta-feira (21), gestores da Seinc se reuniram com diretores da empresa.
A indústria vai gerar 80 empregos diretos, com a fabricação e produção de fécula de mandioca, polvilho doce, tapioca úmida e farinha de mandioca de vários tipos. Segundo a empresa, a capacidade de produção será de 15.000 quilos/hora. A matéria prima virá do Tabuleiros de São Bernardo, localizado na região do Baixo Parnaíba, de onde a Ambev compra a mandioca para a fabricação da cerveja Magnifica, vendida em lojas de São Luís.
Durante a reunião, a Seinc apresentou o Distrito Industrial de Balsas, para que a empresa se instale no local. A fecularia, segundo o secretário Simplício Araújo, irá atender todo o estado, já que atualmente a fécula de mandioca é produzida em outros estados e após, enviada ao Maranhão.
“Hoje a mandioca maranhense é enviada para outros estados para a produção de fécula e consumimos produtos de mandioca proveniente de outros estados pela falta de processamento aqui no Maranhão, Com a instalação da empresa, vamos reverter isso, podendo inclusive passar em breve a exportar para outros estados”, disse o secretário Simplício Araújo.
Parceria

Desde 2016, a Seinc e a Ambev dialogam sobre a fabricação de uma cerveja a base de mandioca genuinamente maranhense. A contrapartida para que a produção fosse fabricada com matéria prima oriunda do Tabuleiro de São Bernardo com um pedido do Governo do Estado, com a proposta de adensar a cadeia produtiva, gerar emprego, renda e aumentar a produção.

Vídeo: PF arromba casa de senador no Piauí


Segundo uma informação extra-oficial, a PF cumpre mandatos de busca e apreensão num desdobramento da Operação Lava-Jato. O Política Dinâmica filmou com exclusividade o exato momento em que a Polícia Federal usou uma ferramenta para cortar cadeados e arrombar o portão da residência do senador. (Veja imagens acima)
Segundo informações apuradas, somente em Teresina, aproximadamente seis viaturas caracterizadas e descaracterizadas da Polícia Federal cumpriram mandatos de busca na casa do senador Ciro Nogueira, na imobiliária de sua família, a CN Imóveis, e em sua loja de motos, a CN Motos. Além das buscas na capital piauiense, também estão sendo visitados imóveis em Brasília (DF) e São Paulo (SP). No total, são 7 mandados de busca e apreensão, além de intimações para fins de depoimentos dos envolvidos.
A operação é decorrente de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), tendo como principal investigado o senador Ciro Nogueira (PP-PI), que também é presidente da legenda. Batizada de Compensação, a operação foi autorizada pela ministra Rosa Weber, do STF. A Polícia Federal investiga supostos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.
Política Dinâmica já entrou em contato com a assessoria de comunicação do senador, mas ainda não recebeu resposta.
A assessoria de comunicação do senador Ciro Nogueira enviou ao Política Dinâmica uma nota sobre a Operação Compensação, que ocorre em desdobramento da Operação Lava-Jato da Polícia Federal.
Segue a nota:
Em relação às diligências realizadas pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (22) em endereços ligados a Ciro Nogueira, o senador afirma que não vê razões que justifiquem a ação, uma vez que sempre esteve à disposição para colaborar com as investigações.
Ciro Nogueira defende o rápido esclarecimento dos fatos, que, mais uma vez, irão comprovar a improcedência das acusações.
Assessoria de Imprensa

Dino anuncia Márcio Honaiser e Ana do Gás como novos secretários de Estado


Deputados Márcio Honaiser e Ana do Gás
O governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou, no início da noite desta quinta-feira (21), que os deputados estaduais Márcio Honaiser e Ana do Gás ocuparão duas pastas no governo.
Honaiser será o novo Secretário de Desenvolvimento Social e a deputada reeleita Ana do Gás será a nova Secretária de Estado da Mulher.
Além das referidas nomeações, o governador também comunicou que o sociólogo Jowberth Frank, ex-superintendente do MDA e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) será o novo Secretário de Estado do Trabalho e da Economia Solidária
Minard

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

CRISE ECONÔMICA: assim como em muitos municípios, em Tuntum não terá carnaval


A exemplo de muitas prefeituras maranhenses, a Prefeitura de Tuntum também não realizará sua tradicional festa carnavalesca. O motivo da não realização é a crise financeira que vem atingindo todo o país, inviabilizando a disponibilidade de recursos dos órgãos estaduais, como a própria Secretaria de Estado da Cultura, que inclusive já se manifestou alegando a falta de verba para a festa de momo desse ano.
Em todo estado, segundo informações da imprensa, mais de 100 municípios ficarão sem promover o evento festivo, todos alegando o mesmo problema. Um dos exemplos é a cidade de Santa Inês, que este ano esquecerá a tradição da festa e investirá os recursos em outras áreas
O prefeito de Tuntum, Dr. Tema, em contato com o blog do Lobão afirmou que  em face, também da falta de recursos e da crise financeira que todos municípios estão passando, o município  não irá realizar a grande festa. 
"Como o Governo do Estado já se pronunciou que este ano não poderá ajudar os municípios na realização da festa, situação que nós entendemos, este ano ficaremos sem promover essa tradicional festa em nosso município. Os recursos que dispomos no momento iremos investir em áreas prioritárias da gestão", disse

Associação Maranhense de Doença Genética Rara realiza audiência pública para discutir atendimento nos hospitais do Maranhão



O presidente da Associação Maranhense de Doença Genética e Rara (AMAGeR), Paulo Ricarte  convida a população para participar de uma importante audiência pública, que discutirá políticas públicas e atendimento nos hospitais do Maranhão para doenças genéticas e raras.  A audiência contará com a representatividade do Ministério Público, Defensoria, Prefeitura, EMSERH, SES, médicos, conselhos e associações que militam com os pacientes com doenças raras do Estado, entre outras entidades.

"Levamos até a Assembleia Legislativa do Estado uma solicitação das pessoas com doenças raras e genéticas, para que provocasse essa audiência pública. Nossa voz foi ouvida e juntos elaboraremos propostas que possam melhorar o atendimento nos hospitais, objetivando, assim, a elaboração de políticas públicas voltadas para a saúde. Estão todos convidados para esse importante momento de discussão”, afirmou Paulo Ricarte. 


A audiência ocorrerá na Assembleia Legislativa do Maranhão, no auditório do Plenarinho, na terça-feira, dia 27 de fevereiro, às 14h.

Outras Associações participantes.

Presidente Aelson.
Associação Maranhense de amigos familiares e portadores de Epidermolise Bolhosa (AMAPEB)

 Presidente Laura.
Associação de pessoas com Doença Falciforme e Talassemia do Maranhão. (ASPDOFT-MA)

Presidente Wdenilson.
 Associação Maranhense de Hemofilicos
(AHEMA)

Presidente Dr. Gabriel.
Associação de assistência a mucoviscidose do Maranhão
(AAMMA)

#RaraGenteMaranhense
#SomosTodosRaros
#RaroSimInviseisJamais
#TodosPelosRaros
#JuntosSomosMaisFortes

Proposta de reforma prevê pagamento de R$ 400 a idosos 'miseráveis' aos 60 anos


Caso a pessoa consiga se aposentar aos 65 anos, deixa de receber o benefício; para pessoas com deficiência, valor ainda é de um salário mínimo



Idiana Tomazelli, Adriana Fernandes e Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA - A proposta de reforma da Previdência apresentada nesta quarta-feira, 20, ao Congresso prevê o pagamento de um benefício de R$ 400 a partir dos 60 anos para idosos que comprovarem situação de “miserabilidade”. Caso a pessoa consiga se aposentar aos 65 anos, ela deixa de receber o benefício. Mas se continuar dependente dessa assistência, o valor será elevado a um salário mínimo aos 70 anos. Para pessoas com deficiência, o valor ainda é de um salário mínimo.

O secretário de Previdência, Leonardo Rolim, afirmou que haverá exigências adicionais para comprovar a condição de “miserabilidade” que dará o direito de receber o benefício assistencial. Hoje ele é pago a idosos e pessoas com deficiência que tenham renda familiar per capita de um quarto do salário mínimo. Agora, será exigida uma condição adicional: não ter patrimônio superior a R$ 98 mil (equivalente ao valor da faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida). 

Atualmente, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) não é menor que um salário mínimo (atualmente, R$ 998). Rolim ressaltou que não há desvinculação do salário mínimo e que há antecipação do início do recebimento do benefício para 60 anos. “Isso dá uma proteção maior, mas diferencia benefício contributivo do não contributivo”, afirmou.

Os valores definidos no texto entregue ao Congresso são diferentes dos propostos pela equipe econômica, na minuta da reforma antecipada pelo Estadão/Broadcast. O valor era de R$ 500 aos 55 anos e aumentaria para R$ 750 aos 65 anos. Haveria ainda um benefício extra para pessoas acima de 70 anos e que tenham contribuído por ao menos dez anos ao INSS. Esse período é insuficiente para pedir aposentadoria, mas vai garantir um adicional de R$ 150.

Segundo o secretário, o valor fixo abaixo do salário mínimo está ligado à lógica de praticamente todos os benefícios de assistência. O Bolsa Família, por exemplo, paga até R$ 372. “Apenas o piso do benefício previdenciário é que é indexado ao salário mínimo. Nenhum outro é indexado”, afirmou.

Rolim também explicou que o abono salarial passará a ser pago apenas a quem recebe um salário mínimo. “O trabalhador de mais baixa renda que depende de força física tem dificuldades, ele não consegue se aposentar, nem receber o benefício mínimo. A ideia é criar progressividade.”


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Reforma da Previdência fixa idade mínima e eleva tempo de contribuição; entenda


Caso a reforma seja aprovada com o texto original, governo fará economia de R$ 1,1 trilhão; entenda as propostas contidas no projeto da nova Previdência


Ao lado de ministros, o presidente Jair Bolsonaro entregou a proposta de reforma da Previdência para Rodrigo Maia
Reprodução/ Twitter
Ao lado de ministros, o presidente Jair Bolsonaro entregou a proposta de reforma da Previdência para Rodrigo Maia

Técnicos do Ministério da Economia detalharamm, nesta quarta-feira (20), as particularidades da proposta de reforma da Previdência, que foi  encaminhada na manhã de hoje pelo presidente Jair Bolsonaro para aprovação do Congresso Nacional. 
De acordo com o Ministério, caso seja aprovada com o texto original, a reforma da Previdência  deve economizar R$ 1,165 trilhão em dez anos, número que já havia sido levantado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Nos quatro primeiros anos, R$ 189 bilhões em gastos podem ser poupados.
Pela manhã, os secretários Bruno Bianco (secretário especial-adjunto de Previdência e Trabalho), Leonardo Rolim (secretário do Regime Geral da Previdência), Felipe Portela (diretor de programa da secretaria especial de Previdência e Trabalho) e Narlon Gutierre Nogueira (secretário adjunto de Previdência) deram todas as informações sobre a proposta que foi levada para aprovação.  O p rocurador-geral adjunto de Gestão da Dívida Ativa da União, Cristiano Neuenschwander, também estava presente

Idades mínimas, tempo de contribuição e cálculo do benefício

Bolsonaro foi até o Congresso Nacional nesta quarta-feira (20) para entregar a proposta de reforma da Previdência
Reprodução/ TV Câmara
Bolsonaro foi até o Congresso Nacional nesta quarta-feira (20) para entregar a proposta de reforma da Previdência

Até o momento, o que se sabia sobre a nova Previdência eram os valores das idades mínimas estipuladas para a  aposentadoria : de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres, em um período de transição de 12 anos. As informações foram confirmadas pelo governo.
A novidade é que, além dessas idades mínimas , os trabalhadores precisarão ter tempo mínimo de contribuição de 20 anos, e não mais 15, como está em vigor nas regras atuais. A aposentadoria apenas por tempo de contribuição, como existe atualmente, será eliminada. 
Além disso, a reforma vai englobar tanto os trabalhadores do setor privado, que são assegurados pelo Insitituto Nacional do Seguro Social ( INSS ), quanto os servidores públicos .  Ou seja: os trabalhadores do setor público terão a mesma idade mínima do setor privado (62 e 65 anos). A diferença fica por conta do tempo de contribuição, que será maior para os servidores públicos - serão precisos 25 anos trabalhados.
De acordo com os secretários, os trabalhadores do setor privado poderão escolher entre três tipos de regras de transição: uma por tempo de contribuição e idade, outra por tempo de contribuição e idade mínima e uma terceira apenas pelo tempo de contribuição. Já para os trabalhadores do setor público, a regra de transição será única.
Trabalhadores rurais e professores
Para os trabalhadores rurais, a nova Previdência propõe idade mínima de 60 anos tanto para homens quanto para mulheres, com contribuição de 20 anos. A regra atual estipula 55 anos para mulheres e 60 anos para os homens, com tempo mínimo de atividade de 15 anos.
A idade mínima de  60 anos para ambos os sexos também foi estipulada na aposentadoria de professores, que precisam ter 30 anos de contribuição. Atualmente, não há idade mínima para professores, e o tempo de contribuição é de 25 anos para mulheres e 30 anos para os homens.
Policiais civis, federais e agentes penitenciários e socioeducativos
Para estes, a idade mínima para aposentadoria ficará em 55 anos tanto para homens quanto para mulheres. A diferença ficará no tempo de contribuição:  30 anos para homens e 25 para mulheres, com tempo mínimo de serviço exigido de 20 anos para eles e 15 para elas

Cálculo da aposentadoria
Nova Previdência também altera o calculo do benefício
iStock
Nova Previdência também altera o calculo do benefício

Tanto para servidores públicos como privados, o benefício  será recebido através das mesmas regras, levando em conta apenas o tempo de contribuição . Assim, o valor da aposentadoria será de 60% da média salarial somado a 2% por ano de contribuição que exceder os 20 anos obrigatórios. 
Para se aposentar com 100 do salário, o trabalhador vai precisar ter contribuído com 40 anos de serviço . Já com 20 anos de contribuição, que é o mínimo para os trabalhadores privados do regime geral, o benefício será de 60%, também subindo 2% a cada ano a mais de trabalho.
O valor do benefício não poderá ser superior ao teto (atualmente em R$ 5.839,45) nem inferior a um salário mínimo .

E os militares?

O secretário Especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, falou sobre a reforma da Previdência para os militares
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O secretário Especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, falou sobre a reforma da Previdência para os militares

Segundo o secretário Especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, a proposta da reforma dos militares será apresentada em até 30 dias.  
Ele disse que será preciso um pouco mais de tempo para terminar esse projeto, já que as regras sobre eles estão em leis ordinárias e não na Constituição e, por isso, não podem ser modificadas por meio de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição). “Estamos trabalhando a equidade. Todos darão sua contribuição, inclusive os militares . De hoje a 30 dias o projeto será apresentado já que se trata da conformação de cinco outras leis. Não tivemos condição de apresentar em tempo hábil dada a complexidade da elaboração da própria PEC”, explicou

Novas alíquotas
Nova Previdência propõe contribuições maiores para salários mais altos
iStock
Nova Previdência propõe contribuições maiores para salários mais altos


Pela nova proposta, quanto maior o salário que o trabalhador recebe, mais ele precisará contribuir com a Previdência. O mesmo acontece para os que recebem menos: contribuirão com valores menores. 
Assim, com base no salário mínimo atual (R$ 998) , os impostos saem de 7,5% para quem ganha esse valor e podem chegar a 22% para os trabalhadores que receberem acima do teto do benefício (que é, atualmente, de R$ 5.839,45).

https://economia.ig.com.br/2019-02-20/detalhes-nova-previdencia.html