sábado, 12 de março de 2016

Homicida condenado pela morte de Thiaguinho é preso armado e com um carro roubado; ele também é suspeito de um duplo homicídio em Goiás.

Regivan Campelo da Silva
Já está de volta a prisão o homicida Regivan Campelo da Silva, condenado a mais de 8 anos pelo Tribunal do Júri de Tuntum pela morte do jogador de futebol Thiago Oliveira de Sousa, o Thiaguinho. Regivan foi preso ontem (11) à tarde numa operação articulada pela Polícia Civil e Polícia Militar.
De acordo com informações da polícia tuntuense, há dias que Regivan vinha sendo monitorado pela polícia. A última informação levada ao conhecimento da polícia é que ele estava na cidade conduzindo uma pick up Ranger, cor preta, e que o mesmo estava homiziado em uma fazenda nas imediações do povoado Gato, localizado a cerca de 6 km da sede. Para que não houvesse falhas na sua captura, a polícia utilizou um veículo descaracterizado. Regivan ao perceber a chegada da polícia ainda tentou fugir, mas a casa estava cercada.
Ao entrar na residência a polícia fez buscas e encontrou alguns objetos, como uma balança de precisão, peças de ouro e um relógio. No carro, a pick up, foi encontrado um revólver 38, prateado, com 4 munições. No momento da averiguação do veículo descobriu-se que ele era roubado. Na delegacia foi contatada a polícia de Brasília, local onde o veículo havia sido roubado, e para surpresa dos polícias tuntuenses, os proprietários do carro haviam sido mortos em um suposto latrocínio (roubo seguido de morte). Para a polícia de Brasília e de Goiás, Regivan é o principal suspeito da morte do casal proprietário do veiculo. Conforme informações repassadas, Regivan Campelo trabalhava na fazenda das duas vítimas como caseiro.

Para aprofundar as investigações e colaborar com as duas polícias (Brasília e Goiânia), foram enviadas fotografias do relógio e de uma pulseira de ouro encontrados com o suspeito para os familiares das vítimas, que reconhecerem ser do casal assassinado. Os familiares ainda reconheceram a balança de precisão, instrumento usado por uma das vítimas para a compra e venda de ouro. 
Na troca de informação com  a polícia de Brasília e de Goiais foi recebida uma fotografia do suspeito da morte do casal, ficando comprovado que se tratava de Regivan. Contra o suspeito já tem um mandado de prisão expedido pela justiça do Estado de Goiás pelo suposto duplo homicídio. Após sua prisão ele foi transferido para o complexo prisional de Presidente Dutra onde aguardará a instauração do inquérito e posteriormente o pronunciamento da justiça.          

2 comentários:

  1. Que sujeitinho mais nojento...Futuro morador de pedrinhas!!!

    ResponderExcluir
  2. Já que cometeu crime também em Goiais, a Polícia Civil pode pedir que ele seja enviado pro referido Estado pra que possa ser jugado pela justiça de lá.

    ResponderExcluir